24.5.11

 Grita de dor mas não apaga esse amor que nasceu assim sem mais, sem ter ao que se agarrar. Corre e implora pro mundo que não chegue a hora de não mais me acompanhar.
 Sente a chegada da euforia contaminada pelo sentimento jogado ao relento. Não tem mais por que perdoar, tantos foram os erros, poucos os acertos. Fadadas ao fracasso, isso amor, corta, só falta um pedaço. Logo vai acabar.
 Para de me doer, pedir, ordenar, implorar. Para.
 Incomoda, coça, arde. Me muda pra sempre, me transforma, me faz gostar disso tudo, me satifaz quando doi, me ama e destroi.
 Cada pedaço meu foi feito pra você, feito pra te amar, feito para querer essa tortura desmedida, essa saudade, essa vida. Eu fui feita pra você. E você vem e joga tudo no lixo, cada vez que me vem pedindo um pouco mais. Faz assim, me desarma, desarrumo minha cama pra você uma vez mais. Me faz desandar, me tira do caminho planejado pra mim. Me mata pra sempre, assim não tenho que aguentar seu olhar julgador que não ama e corroi.
 Me deixa pra depois, pega outro brinquedo. Larga seu astronauta, boneca, deixa ele no canto. Deixa ele voar sozinho, ele volta pra Terra e te pega nos braços.

Nenhum comentário:

Postar um comentário