20.9.11

Destiny blows me away

  Caso você não tenha percebido eu estou brava e triste e sozinha, sempre que você começa um jogo novo, eu me afasto. Talvez esse seja o problema, eu me preocupo e sinto demais, você sempre se afastando e querendo mais mas não é mais de mim. Por que se você come brigadeiro por muito tempo você enjoa e fica querendo outra coisa mas nunca larga o brigadeiro por que você ainda gosta muito de brigadeiro.
  Eu sou o brigadeiro.
  Eu sou uma panela cheia de brigadeiro que você renega depois de já ter comido muitas colheradas seguidas.
  Água.Você precisa de água.
  Muita água pra tirar aquele gosto enjoativo da boca por que parece que você vai vomitar.
  Água, outro tom de azul,outra voz pra contar histórias pra você, outra boca, outro cheiro - até por que sabonete nem é tão bom assim - não importa.
  Eu aprendi a escrever de um jeito que você gosta mais que é meio que um jeito parecido com o seu mas ainda assim muito meu até por que eu não sei escrever como você. Acho que não consigo por que você só escreve quando precisa, sabe? Eu escrevo no lugar de falar, sempre fico na ansiedade de parar de escrever pois talvez comece a falar mais porém ambas sabemos não ser verdade, minha comunicação só piora.
  Você precisa de um oásis, água, água jorrando pra talvez ficar satisfeita por um tempo, o problema é que quando você se sentir satisfeita de água você vai querer brigadeiro, vai querer comer brigadeiro até enjoar de novo. É seu ciclo.
  É o que você ama fazer.
  Donnie Darko foi um pedido. Meu choro não foi de dor, foi de tristeza. Não pelo jogo, nunca pelo jogo, só por saber que dessa vez é um gostar inteiro que você(s) sente(m)... hahahaha.....mas não importa, não é?
"Promise I'll be kind but I won't stop until that boy is mine", right? Always the same song... always the same matter.
                       

                                                                                       Always the same love, always yours
                                                                                                           Lana Freiman